Duna e a odisseia de Villeneuve.

Compartilhe

Duna (2021), dirigido por Denis Villeneuve, é uma adaptação do livro homônimo de Frank Herbert, o qual conta a saga de Paul (timothée chalamet) , filho do Duque Leto (Oscar Isaac) e a Bene Gesserit, Jessica (Rebecca Ferguson), respectivos da casa Artreides, que agora tem que sair de seu planeta natal para governar o planeta desértico de Arrakis.

Duna se passa no ano de 10191, a humanidade avançou tanto a ponto de fazer viagens planetárias, mas para isso se necessita do uso da especiaria, uma espécie de condimento que só se encontra no planeta de Arrakis, onde ele é coletado e enviado para ser revendido pelo imperador, e para isso, uma das grandes casas interplanetárias é colocada em posto, para que todo cuidado com a administração e proteção da carga sejam assegurados. É aí que se inicia a história de Duna. Após oitenta anos de controle e tirania da casa Harkonnen no planeta Arrakis, o imperador decide colocar os Artreides como os novos senhores de feudo do planeta. O Duque Leto Artreides sabendo que é uma armadilha e que não podem negar a posição, aceita sabendo que correm perigo.

Villeneuve ao decidir adaptar um dos maiores clássicos da literatura sci-fi, sabendo que milhões de outros filmes se inspiraram fortemente em Duna no passado, decide, ao contrário da maioria dos filmes, dar um ar realista ao seu Space Opera. Os personagens são mais humanos, as atuações são menos teatrais, inclusive até o visual é mais sóbrio, sem todo aquela ar hiper futurista de Star Wars e Star Trek, e quando vemos um visual mais carnavalesco, eles criam um pequeno choque, mas sem nunca deixar de ter um ar refinado. Porém onde o realismo realmente aparece é na narrativa e direção, negando qualquer excesso em pró de uma construção lógica dos eventos, evitando diálogos excessivos e cenas que não acrescentem a trama.

Duna, mesmo sendo minimalista em sua trama, é um épico. Todo o planeta Arrakis, seja em suas cidades, seja no próprio deserto, parecem engolir os personagens. Villeneuve deve ter se inspirado, e muito, nas composições visuais de Lawrence da Arábia, é um espetáculo visual seja na arquitetura, nos enquadramentos ou nas batalhas, não tem como não se maravilhar com o ar épico presente no filme. O filme te engole a partir do momento que se inicia até o momento final, o design de produção é simplesmente incrível.

Assim como Senhor dos Anéis e Star Wars, ele não é um filme que acaba nele mesmo, e mesmo algumas pessoas não gostando do final, que soa como inacabado, porque realmente é (sua segunda parte foi anunciada para outubro de 2023), soa totalmente satisfatório. Era algo que se discutia, uma vez que o próprio livro é enorme, intransponível para um único filme de duas horas e meia.

Duna aparenta ser o épico que sempre foi prometido ser, mas só vamos poder realmente saber se ele é em 2023. Entretanto, nesse momento ele é um dos filmes mais grandiosos do ano, e nada melhor do que poder sentar na poltrona de um cinema (ou em casa, já que se encontra em aluguel na HBO Max) e poder aproveitar cada segundo que ele tem a oferecer.

Veja alguns produtos sobre Duna disponíveis na Amazon!

Compartilhe

Comentários

Plano Mainstream

O Plano Mainstream inclui:

• Item 1
• Item 2
• Item 3
• Item 4
• Item 5
• Item 6

Plano Garage

O Plano Garage inclui:

• Item 1
• Item 2
• Item 3
• Item 4
• Item 5
• Item 6